Na trilha do pai, compartilhando a vida – a nova playlist do blog

O dia dos pais, oficialmente, já passou… mas, aqui neste blog, vai durar, pelo menos, até o final do mês de agosto. Para que você não deixe de lembrar o quanto é importante e determinante o papel do seu pai em sua vida, escute a seleção de 12 músicas instrumentais da nova playlist do projeto Radio Humanature: “Na trilha do pai, compartilhando a vida” (também disponível em: http://www.deezer.com/music/playlist/radio-humanature-9-47755766?provider=website) e acompanhe os posts.

Enquanto um pai sempre é (ou já foi), também, um filho, nem sempre um filho é, ou torna-se, pai. Por isso, os pais, comparados com seus filhos, potencialmente sempre saem na vantagem ao caminhar na trilha da vida, mesmo “limitando-se” a acompanhar de lado a lado e de passo a passo a trilha dos próprios filhos. Um pai que já compartilhou de forma consciente algum tempo da sua vida com seu próprio pai, já teve sua experiência de ser filho e aprendeu com ela. É seu dever, portanto, buscar compartilhar as lições aprendidas do seu pai com seus próprios filhos, pois já caminhou uma trilha que, de alguma forma, seus filhos também irão percorrer. Nem todos os pais ou os filhos, contudo, percebem isso ou, se percebem, usam seu patrimônio de conhecimento e aprendizado de maneira egoísta ou arrogante – para ter uma melhor relação entre pais e filhos, muitas vezes, bastaria compartilhar mais pensamentos e experiências, ajudando um ao outro para não perder o rumo da sua própria caminhada.

Acontece até que um pai veja seu próprio pai nos olhos do seu filho, embora nunca o tenha visto e encontrado pessoalmente… esta é a mensagem de “My father’s eyes” (Os olhos do meu pai), uma das músicas da nova playlist deste blog, do inglês Eric Clapton – veja o vídeo oficial abaixo. Como o próprio Clapton escreveu em sua autobiografia, ao compor a letra da música em 1992, e relembrando seu filho Conor um ano depois da sua trágica morte (ocorrida após queda de um prédio, com apenas 4 anos de idade), ele tentou “descrever a analogia entre olhar nos olhos do meu filho e nos olhos do pai que nunca encontrei, por meio do nosso vínculo de sangue”. Clapton, de fato, foi criado por seus avôs, pois o pai dele era um soldado canadense que, em 1944, foi para guerra, um ano antes dele nascer e que, em seguida, retornou para o Canadá sem se re-encontrar com sua esposa e seu filho, casando-se outras vezes com outras mulheres; a mãe, também, casou-se outras vezes e não conviveu mais com seu próprio filho. Clapton só soube disso tudo quando já adulto e famoso, muitos anos depois, graças a um jornalista canadense que tinha reconstruído a história. Entre outras coisas, ele até descobriu que seu pai tinha sido, também, um músico talentoso, que tocava piano e saxofone em salões de baile… Sem saber, Eric Clapton tinha trilhado em sua própria vida um pouco do caminho do seu pai.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *