O medo de empreender

Otaviano sempre quis ter seu próprio negócio. Um dia sua vontade somou-se ao sonho de mais dois amigos e assim, pouco tempo depois, eles iniciaram um pequeno empreendimento. O problema era que todos tinham medo de deixar seus empregos, então trabalhavam para uma grande multinacional e nas horas vagas dedicavam-se ao negócio de seus sonhos. O tempo foi passando…passando… e o negócio não decolava, mas ninguém conseguia entender o porquê, já que todos eram tão dedicados.

As tarefas eram divididas entre os três sócios. Optaram por não contratar ninguém, porque assim reduziriam custos. Optaram por não fazer muita divulgação, para evitar que houvesse uma grande demanda e eles não pudessem atendê-la. Optaram por procurar novos empregos, quando começaram a se cansar da multinacional onde trabalhavam. Continuavam dormindo com o sonho de que a empresa iria crescer e que fechariam grandes negócios. Acordavam com o despertador tocando depois de terem dormido tarde, pensando no que fazer para fechar uma boa venda, mas saiam correndo sem poder pensar muito, porque o chefe chegava cedo no trabalho.

Na dúvida se eram mesmo empreendedores fizeram um teste de revista e tiveram uma pontuação fantástica. De fato, eles eram visionários, idealistas, com idéias surpreendentes. A questão era que não tinham tempo para colocá-las em prática. Conhecimento não lhes faltava, habilidade tampouco; mas onde estaria a atitude empreendora?! Empresa que dá certo não sobrevive de horas vagas, não fecha contratos na madrugada depois que todos encerraram seus expedientes. Empresa para dar certo, tem que ter aposta. Tem que ter planos gerenciais. Tem que fazer acontecer!

É importante que pequenos empresários e pessoas que sonhem abrir seus próprios negócios tomem riscos calculados; preparem-se financeiramente para meses ou alguns anos com baixo rendimento… mas é fundamental partir para ação. A inação também tem um preço. Será que os empreendedores não calculam o custo de se manterem parados?! Inevitavelmente , o fracasso na promoção do serviço inovador acarretará na queda da qualidade ou restrições no atendimento – resultados indesejáveis. O fim acaba sendo aquele que ninguém deseja quando abre seu negócio. O ciclo PDCA – Plan Do Control Act (Planejamento, Execução, Controle, Ações de Melhoria) já ficou famoso nas rodas de executivos, mas muitos deles continuam atuando sem se planejar, ou por não se planejar…permanecem na inação. Medo do futuro, medo de faltar dinheiro, medo de dar errado, medo de empreender…Preocupação ocupando o lugar da ação, do planejamento, dos dados concretos e da expansão da mente criativa daquele que é verdadeiramente empreendedor.

Share

Um comentário sobre “O medo de empreender

  • Adriana,
    O artigo me fez refletir e gostaria de compartilhar com você demais leitores.
    Julgo que só existe um tempo importante que é o agora (presente), visto que de certa forma controlamos. A outra coisa mais importante, que acredito, é a de fazer aquilo que nos deixa feliz e por conseguinte devidir essa felicidade com aqueles que vivemos. No empreendimento, acredito naquilo que é feito com o coração, a alma, não fazer por fazer, isto é aquilo que lhe faz feliz certamente será bem vindo, visto pelos outros (colaboradores, clientes e etc.).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *