Coaching e Expressões Populares (12)

Há quem acredite que o planejamento, quando bem realizado, garante o alcance das metas. Há também quem acredite na fatalidade, no destino e que somente Deus é capaz de saber o que o futuro nos reserva. Estudiosos em prospectiva sustentam que o monitoramento externo é fundamental, a fim de prever as possibilidades e tentar antecipá-las, de modo tal a evitar o susto do imprevisível.

Segundo, Godet (2011),

“A antecipação não está ainda muito disseminada entre os dirigentes; quando tudo vai bem, eles podem passar sem ela e, quando tudo vai mal, já é tarde para agir de outro modo que não seja a urgência: é preciso reagir e depressa! Entretanto a reatividade não é um fim em si mesma; desejável a curto prazo, ela não leva a lado nenhum se não é orientada pelos objetivos de longo prazo da empresa.”

A expressão popular “o futuro a Deus pertence” muito disseminada poderia ser uma crença limitadora do estudo prospectivo e do planejamento estratégico? A expressão “Deus ajuda quem cedo madruga” poderia confrontar a anterior e apontar uma alternativa de causa e efeito, estimulando o trabalho, e quem sabe gerando um futuro melhor para quem se preocupa com ele?! Indagações, questionamentos prospectivos, que em alguns momentos amedrontam e em outros fortalecem e empoderam, diante da oportunidade de definir o que cada um de nós realmente quer que aconteça.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *