Dicas transculturais de Susan Farwell

– Conheça sua própria cultura;
– Conheça outros pontos-de-vista;
– Não subestime o choque cultural (eu acrescento o reverso também);
– Identifique as diferenças entre valores (eu acrescento: organizacionais, interestaduais, internacionais, etc.);
– coach clientes para desenvolver ritmo cultural;
– equilibre atividades de relacionamento com tarefas;
– mantenha-se interagindo com colegas “globais”.

Bem, adorei conhecer a Susan e perceber quão parecidas somos até mesmo nas escolhas pessoais. Ela também é casada com estrangeiro e vive diariamente uma rotina plena de diferenças e histórias enriquecedoras. Ambas gostamos de trabalhar organizações, executivos, mudanças culturais… e utilizamos o coaching como metodologia para minimizar o impacto diante de tantas diferenças.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *