Conflito de valores em Altamira

Altamira

Rio Xingu, em Altamira - Pará


Valores permeiam nossas vidas, a partir das escolhas que fazemos e relações que constituímos, sejam elas com as instituições nas quais trabalhamos ou até mesmo com o país, a cidade ou o bairro, onde escolhemos viver. Existem valores de aproximação e valores de afastamento. Normalmente as afinidades brotam a partir de valores de aproximação que compartilhamos, tais como amizade, cultura, lealdade, prazer, entre outros. Por outro lado, temos por tendência nos afastar, ignorar ou debater sobre questões das quais temos valores de afastamento, tais como desonestidade, corrupção e injustiça.

Visitando um município conhecido por conflitos, fiz algumas indagações sobre valores. Altamira poderia ser considerada uma cidade do interior, simples e convencional; mas não é, e nem pode ser. Na verdade, é um município cheio de títulos e características notáveis – o mais extenso do Brasil e o segundo mais extenso do mundo, perdendo apenas para Qaanaaq, no norte da Groelândia; lugar de terra altamente fértil; região habitada por vários povos indígenas; território de passagem da rodovia Transamazônica e do Rio Xingu, que será afetado pela polêmica construção da usina hidrelétrica de Belo Monte, que virá a ser a terceira maior do mundo e tem como objetivo produzir energia para o abastecimento nacional.

Estava altamente curiosa para andar na rua e sentir junto com seu povo o que seria perder um pouco da sua cidade (estima-se que cerca de 50% dos bairros atuais de Altamira serão alagados depois da construção da usina) e do rio que a atravessa para dar espaço a uma grande represa de água. Senti um grande aperto em meu coração, um aperto daqueles “arretados”, como dizem os paraenses, como se eu já sentisse saudade de algo que ainda não se foi. Estava com pressa e não tinha todo o tempo que queria para sentar, apreciar o rio, tomar banho, passear de barco e desfrutar plenamente de sua beleza. Vi suas curvas, senti seu cheiro e observei as pessoas ao seu redor, aproveitando um dos maiores atrativos da cidade. Senti que aquele era lugar de jogar conversa fora, de ver o sol nascer e se pôr, de esperar e encontrar a pessoa amada… e de lembrar da importância de uma vida simples, simplesmente bela.

Por outro lado, conversei com pessoas que foram para Altamira em busca de trabalho e crescimento profissional e que acreditam que a construção da usina Belo Monte trará progresso para a cidade e para suas famílias.

Diante de situações importantes, tendemos a priorizar os nossos valores em escala e polarizá-los, chegando às vezes a desmerecer por completo uma opinião diferente da nossa.

Então, quais valores fazem parte do conflito de Altamira? Consegui farejar alguns: poder, beleza, simplicidade, amor, progresso, orgulho. E você, consegue perceber os valores que te aproximam e os valores que te afastam de Altamira? Como será Altamira daqui alguns anos? Como será o morador de Altamira daqui alguns anos? Como será o desenvolvimento da cidade onde você escolheu viver? Como será o seu próprio modelo de desenvolvimento? Com quais valores, você, deseja se desenvolver?

Um comentário sobre “Conflito de valores em Altamira

  • Eu penso que, os valores dos empresários são bem diferentes de um povo. Eles não estão pensando apenas em desenvolvimento em preservar o Planeta, pensam em uma maneira de ganhar mais dinheiro… Existem outras maneiras de se conseguir energia, sem ser alagando cidades e deixando para trás a cultura indígena e dos paraenses em geral que já tem suas raízes fincadas ali. O governo por sua vez também quer agradar os empresários, que tem uma voz
    maior e que convencem aqueles que estão tranquilos a imaginar que o progresso virá e que tudo será melhor…
    Quem acredita que a tranquilidade e a simplicidade são importantes na vida, não quer este tipo de progresso. Melhorem as cidades, educação, a saúde, e o trabalho honesto e este povo se sentirá mais feliz, pescando e trabalhando sua terra.
    Este é meu modo de pensar… porque tbém sou da Amazônia Legal, e acima de tudo Brasileira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *