Patrimônio mundial na Jamaica: riquezas naturais e culturais

Patrimônio mundial da UNESCO

Você sabe o que é um patrimônio mundial de acordo com a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura – UNESCO? Um patrimônio mundial é algo considerado um valor universal excepcional pela organização, podendo ser cultural, natural ou misto. Na Jamaica existem dois patrimônios mundiais: as Blue Mountains e o reggae.

De acordo com a UNESCO, as Blue Mountains são classificadas como patrimônio misto, ou seja, um patrimônio cultural e natural ao mesmo tempo. São consideradas patrimônio natural por ocuparem 20% da área nacional, pela alta biodiversidade da região e pela fauna e flora única. As Blue Mountains também representam um patrimônio cultural, por terem recebido escravos fugitivos conhecidos como Maroons que se instalaram e estabeleceram vários povoados na área, durante o século 17, onde propagaram sua cultura por meio de medicina tradicional, manifestações religiosas e danças.

O reggae foi reconhecido pela UNESCO como um patrimônio mundial cultural por integrar influências musicais internacionais como a música latina, africana e norte-americana; pela inclusão de pessoas de diferentes gêneros, etnias e religiões; e pela contribuição para discussões internacionais sobre assuntos como injustiça e resistência, que protagonizam várias composições do Bob Marley, o mais famoso expoente do reggae.

Patrimônio mundial como ativo financeiro

Esses patrimônios mundiais também são importantes para a economia jamaicana. As Blue Mountains geram dinheiro para a Jamaica através do turismo e das vendas de café para o público local e estrangeiro.

No caminho para as Blue Mountains existe a Rota do Café, onde é possível saborear café de seis locais diferentes, alguns mais modernos e outros mais tradicionais. Inclusive, recomendo esse café delicioso, que é utilizado como base para o licor Tia Maria, que é feito com rum jamaicano. Além de tudo isso, uma das mercadorias mais exportadas pela Jamaica para outros países é o café: 4.5 bilhões de dólares são gerados todo ano pela venda do café das Blue Mountains, sendo que entre 70 e 80% das sacas são exportadas para o Japão.

Se você se interessou em conhecer esse local maravilhoso, saiba que existem diversos hotéis e chalés onde é possível ter uma hospedagem de luxo. O hotel mais famoso da região é o Strawberry Hill, sobre o qual comentei no meu artigo Meus 10 restaurantes favoritos em Kingston, na Jamaica.

A música também é um ativo financeiro importante. Ela contribui para, aproximadamente, 0.1% do PIB nacional, e por causa do reggae, muitos turistas são atraídos para a Jamaica. O reggae surgiu no país durante os anos 60 como uma voz popular pela mudança, com letras envolvendo as ideias de injustiça econômica e social, tendo como pioneiros Bob Marley, Peter Tosh, Bunny Wailer e Jimmy Cliff. Ele partiu de uma mistura de vários outros gêneros musicais da época, como a música folk jamaicana, africana e blues. Inclusive, todos esses aspectos do reggae foram fundamentais para a classificação da UNESCO como patrimônio cultural.

Embora o reggae seja tão rico em cultura, ele não contribui tanto economicamente. Nas palavras da ministra da Cultura, Gênero, Entretenimento e Esporte, Olivia Grange, “o reggae é o produto mais valioso de exportação, porém subestimado”. Se você assistiu ao meu vídeo O sucesso internacional do K-Pop, você talvez se lembre que o K-Pop rende 5 bilhões de dólares ao ano para a Coreia do Sul, em torno de 0.7% do PIB, enquanto na Jamaica o reggae rende 14.4 milhões de dólares, que ocupam aproximadamente 0.1% do PIB.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

العربيةEnglishFrançaisDeutschItaliano日本語Basa JawaPortuguêsРусскийEspañol