7 dicas para reter talentos no ambiente de trabalho, sem gastar nenhum tostão

retencao-de-talentos-em-tempos-de-criseReter talentos é um desafio comum para as organizações. Os bons profissionais não estão dispostos a esperar por sua valorização, reconhecimento e oportunidades de crescimento por muitos anos. No entanto, as empresas, até aquelas mais rentáveis, estão cuidadosas com seus orçamentos, para não correr riscos.

Períodos de transição política, não somente no Brasil, fazem com que as instituições optem por aguardar maiores definições antes de investir em seu capital intelectual. Mas, o que pode ser feito para reter talentos, ainda que não seja possível oferecer melhorias financeiras? Abaixo listo 7 sugestões:

  1. Política de benefícios flexíveis às necessidades de cada indivíduo. Fala-se muito que tempo é dinheiro. A verdade é que os colaboradores de uma empresa, normalmente, têm rotinas apressadas. Enquanto para alguns cumprir os horários de entrada e saída do trabalho é algo fácil de se atingir, para outros pode ser altamente sacrificante. Oferecer a possibilidade de redução da jornada ou manter uma rotina em que o primordial é a entrega de produtos e não, necessariamente, a permanência no local de trabalho, pode fazer uma enorme diferença. É bom conhecer o estilo de vida de cada um e ajudá-los a ter um elevado desempenho.
  2. Senso claro de direção e propósito. Os colaboradores, além de suas remunerações, desejam se sentir parte da organização, e com autonomia para ofertar à empresa contribuições, inclusive, a partir de sua própria experiência profissional. No entanto, desconhecendo o que a alta direção espera, muitos deles sentem-se desmotivados e inseguros quanto ao seu posicionamento. Algumas empresas contratam, mas não orientam o novo membro da equipe sobre suas funções,  atividades e resultados esperados por seu trabalho, o que gera ansiedade ou desânimo.
  3. Uma atmosfera de trabalho acolhedora entre gerentes e empregados. Habilidades interpessoais são essenciais para desenvolver uma cultura de elevada retenção de talentos. É importante que o gerente se interesse por conhecer sua equipe, não somente suas competências para o cumprimento de suas atividades, mas compartilhar aspectos sobre seus hobbies, interesses e vida pessoal é um diferencial.
  4. Reconhecimento e palavras de estímulo. As pessoas gostam de serem percebidas e valorizadas por seu empenho, dedicação e resultados derivados de seu trabalho. Um discurso, o envio de uma mensagem personalizada, uma carta de agradecimento são meios gratuitos e que agradam a maioria dos profissionais.
  5. Oportunidade de desenvolvimento profissional por meio de capacitações. Os profissionais modernos se inquietam com a monotonia, portanto é fundamental lançar novos desafios, descentralizar tarefas para que os subordinados acessem ações impactantes e participem de reuniões estratégicas. Ao conhecer os talentos de cada um é possível dar oportunidades, inclusive, para que os colegas se apoiem mutuamente.
  6. Plano de carreira. Profissionais gostam de atuar, sabendo quais são suas perspectivas futuras. Dessa forma, é importante que o Plano de Carreira dê mobilidade e possibilidades de crescimento.
  7. Liderança-coach. A criação de um ambiente propício às conversas gera maior confiança e produtividade. Um trabalho com metas claras, acompanhamento, feedback construtivo eleva a performance individual, da equipe e da empresa. No livro “Coaching para retenção de talentos: uma estratégia essencial de vantagem competitiva para organizações globais” (2013), oriento que:

“Líderes com habilidades de coaching têm maior facilidade para motivar os colaboradores e para lidar com subordinados e pares de uma maneira que reduz os conflitos, respeita e estimula o potencial de cada um, desenvolve a sinergia da equipe e, naturalmente, aumenta a produtividade. Indivíduos que refletem sobre seus pontos fortes e fracos, investem no seu desenvolvimento pessoal e profissional, percebem os valores e as diferenças culturais existentes no grupo, tornam-se mais flexíveis e co-criam um relacionamento harmônico e integrador no ambiente organizacional. A partir dessa abordagem é estabelecido um processo de ganho sistêmico, no qual líderes e liderados descobrem ou redescobrem seus talentos, ampliam sua visão de mundo e desenvolvem uma empresa mais inovadora, criativa, feliz, superando as crises do sistema e mantendo-se no mercado.”

Aplicar essas dicas não requer nenhum tostão, mas pode gerar bons ganhos em produtividade e ampliação das suas receitas.

Leia também: Lançamento do livro Coaching em São Paulo

Maiores informações sobre o livro Coaching podem ser encontradas em Publicações

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *