Gestão do tempo em tempos pandêmicos

Na minha jornada profissional, tanto como Coach Executiva assim como em funções de gerenciamento de projetos, eu sempre ouvia de clientes ou colegas sobre a dificuldade que tinham para gerenciar o tempo.

Como eu sou formada em Administração de Empresas, tenho um MBA em Gestão de Projetos, e trabalhei muitos anos como consultora para desenvolvimento organizacional, tentei aplicar na minha própria vida alguns métodos semelhantes aos utilizados para monitoramento e avaliação de projetos, (re)modelagem de processos, qualidade total, e, felizmente, eles funcionaram.

Gosto de pesquisar os especialistas em algumas modalidades e, inclusive recomendo o Christian Barbosa, pois foi um dos conteúdos que estudei, também, alguns anos atrás. Ele desenvolveu um método simples em três grandes esferas – urgente, importante e circunstancial – e, segundo ele, o equilíbrio dessas categorias está diretamente relacionado à nossa qualidade de vida.

Embora, eu ache esse método de fácil aplicação, nem sempre ele engloba várias complexidades, como, por exemplo, quando lidamos com muitas demandas e urgências de todas as partes, tanto na vida pessoal como profissional, e principalmente quando nos deparamos com algo totalmente novo como uma pandemia de impacto global.

Os desafios são vários como ter os filhos em casa, perder a ajuda doméstica, lidar com o estresse do isolamento social, abandonar algumas atividades prazerosas como idas aos restaurantes, academias de ginástica, cursos de idiomas, etc.

Na live que fiz hoje no meu Instagram abordei esse tema. Você pode assistir no IGTV ou no meu canal no Youtube.

De todo modo, quero enfatizar algumas estratégias.

Ferramentas de apoio

  • Agenda individual;
  • Lista de tarefas;
  • Cronograma de Gestão de Entregas;
  • Cronograma de projetos com os atores envolvidos;
  • Gantt;
  • Planejamento semanal ou mensal das atividades;
  • Controle de milestones, entre outras.

Identificação de prioridades, conforme os valores essenciais e contexto de vida

  1. Quais são os seus projetos?
  2. O que você prioriza?
  3. O que você prioriza no longo, no médio e no curto-prazo?
  4. O que é possível atingir (diante das circunstâncias)? (Usar metas SMART)

Gestão das Emoções

Muitas vezes a improdutividade pode levar o profissional a se sentir frustrado com o seu baixo desempenho, ansioso com a quantidade de tarefas acumuladas e a pressão sobre si mesmo prejudicar a sua performance ao invés de contribuir para o alto desempenho.

Em tempos pandêmicos é preciso ampliar a resiliência pessoal e gerir as emoções para que possamos nos sentir energizados e capazes de atuar para a gestão do tempo. Sem trabalhar as emoções, os próprios sentimentos de baixa autoestima, de frustração e de medo do futuro podem agir prejudicando a ação de hormônios essenciais para o bem-estar como a serotonina, a dopamina, a ocitocina e a endorfina.

Se não estava presente, assista a gravação da live e registre o seu comentário.

Leia também:

Você sabe o que é karoshi (過労死)?

Como lidar com o estresse e a ansiedade?

Como dormir pode te ajudar a resolver problemas? A Neurociência responde.

Resiliência é fator chave para mercado de trabalho

Share

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

العربيةEnglishFrançaisDeutschItaliano日本語Basa JawaPortuguêsРусскийEspañol